domingo, 30 de março de 2014

5 dicas para prosseguir com sua genealogia

Brasões das famílias de meu pai e minha mãe - Pedrosa e Silva.



Depois de juntar seus documentos, fotos e já tiver informações ainda que poucas sobre pelo menos 4 gerações,  é hora de aprofundar seu trabalho genealógico.

1. Busque mais informações: Cartórios, igrejas, cemitérios, censos e onde mais se possa encontrar dados de antepassados. À medida em que for encontrando dados, informações e histórias, vá anotando tudo. Isso é importante. Não confie na memória. Anote tudo. Eu tenho um registro para cada lado da minha família. Lado paterno e lado materno. Anote o nome do antepassado, cada data ou local relativo a esta pessoa, como local de nascimento, data de casamento, etc e onde conseguiu a informação.Se a informação não coincidir ou não estiver correta, anote mesmo assim e coloque uma observação, como por exemplo: "Esta informação já foi investigada e não conduz a nenhum dado correto. Além de anotar em papel, anote também
em um editor de texto no computador e salve em CDs.

2. Preencha o primeiro gráfico. Você pode fazer o download de um gráfico de 4 gerações aqui. Nesse gráfico coloque primeiramente o seu nome completo (se for mulher casada, coloque seu nome de solteira), sua data de nascimento, local, casamento, local do casamento e nome do cônjuge. Em seguida o nome de seus pais. Sempre colocando o nome de solteira das mulheres. E todas as informações que tiver sobre eles. Depois avós e bisavós. Antes de pesquisar nos centros genealógicos é bom ter esse gráfico em mãos. Melhor ainda se as datas remontarem até antes de 1920, pois será mais fácil encontrar os dados genealógicos.

3. Procure saber mais sobre os sobrenomes da sua família. É muito provável que exista um brasão de família. Procure a partir dos nomes masculinos. "A linha masculina geralmente representa o brasão da família, então use formulários de genealogia para o homem -- o "páter" -- da família. Registros antigos especificam apenas homens, por isso será um processo claro assim que as bases estiverem prontas. (As mulheres receberam o direito de representar a família em casos extremamente raros, como quando um herdeiro do sexo masculino estava ausente, por isso não descarte totalmente as listas do sexo feminino.)" Lee grayson

4. Para conseguir ajuda: Se for difícil viajar até a maior biblioteca genealógica do mundo em Salt Lake City, Utah - USA, você pode conseguir muito mesmo sem sair de casa. Assista aos vídeos do Family Search e comece a trabalhar. Neles você terá um passo a passo fácil de compreender.

5. Faça registros de grupo familiar. Este é um outro formulário. Afinal cada um dos seus antepassados tem um grupo familiar com esposa e filhos, cada filho tem cônjuge e filhos, então comece por sua própria família. Coloque o nome de seu pai, sua mãe, você e seus irmãos. Em seguida faça um outro formulário para você, seu cônjuge e filhos e assim por diante.

Dá trabalho? Sim, dá trabalho. É complicado? Só um pouco. Leva tempo? Provavelmente muitos e muitos anos. Você pode até contratar um especialista em genealogia e deixar a parte da pesquisa com ele, mas não sentirá a emoção de encontrar um nome há tanto procurado, um registro que julgava não existir, ou ajuda de quem você nem imaginava conseguir. É emocionante!

quarta-feira, 26 de março de 2014


Como iniciar uma pesquisa genealógica.

Sempre tive curiosidade sobre meus antepassados e perguntava às avós, tias mais velhas sobre o que se lembravam de seus avós e ou bisavós. Fui ouvindo histórias e relatos interessantes, ganhei fotos e documentos bem velhos. Assim iniciei minha pesquisa genealógica.

Para quem deseja conhecer seus antepassados e não sabe por onde começar ou não tem mais avós para perguntar,  aqui vão algumas dicas.

1 . Comece por juntar todos os documentos e fotos que você tiver em casa em uma caixa. Na sua certidão de nascimento, tem o nome de seus pais e avós. Na de seus pais, você encontra os nomes de seus bisavós. Já é um começo.

2. Fale com seus pais, tias (mulheres guardam mais dados de memória), irmãos mais velhos e procure saber do que se lembram. Datas de nascimento/aniversários, nomes de solteiras das avós. Você pode gravar ou anotar.
Peça fotos e documentos. Caso não queiram abrir mão de seus documentos  você pode escanear e mandar reproduzir cópias para si. Junte todas as informações possíveis e comece daí. Dicas boas de como começar você encontra no Manualzinho de Genealogia.

3. Use a internet. Existem diversos sites que apoiam este trabalho. O site Family search possui milhões de registros disponíveis para pesquisa. Existem softwares que ajudam a organizar e montar sua árvore genealógica.

4. Seja perseverante e interessado no assunto. Familiarize-se com pessoas e sites que fazem este trabalho através de grupos de discussão e fóruns disponíveis na web. Procure um centro de História da Família de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (os mórmons) em sua cidade.

5. Se quiser incrementar e ainda ter um hobbie, monte álbuns de fotos do tipo scrapbook com as fotos dos seus familiares e antepassados. Ou faça uma galeria com belas molduras numa parede de casa.

O importante é começar. Você vai perceber como seus caminhos vão sendo abertos nessa direção, como se seus próprios antepassados estivessem interessados em serem conhecidos. Quem sabe?